André Marques: “Não faço personagem para agradar os outros”

O apresentador, com pinta de galã, garante que já pensou em desistir da carreira, mas que se sente feliz por ter seguido em frente

Daniel Vilela

André Marques mais um ano a frente do The Voice Kids | <i>Crédito: Globo/João Miguel Júnior
André Marques mais um ano a frente do The Voice Kids | Crédito: Globo/João Miguel Júnior

TITITI – Como é apresentar mais uma vez o The Voice Kids?
André Marques
– Quando começa a hora de gravar, fico ansioso e feliz. Mesmo sendo o mesmo formato, as mesmas regras do ano passado, cada criança traz algo, uma energia diferente. Acontecem situações que só a pureza e a doçura dos pequenos podem lhe apresentar.

Se encontrou no programa?
Se eu ficar para o resto da minha vida no The Voice Kids e não fizer mais nada pode ter certeza que vou fazer esse programa feliz

As crianças o encantam muito?
Torço para todas! Entrevisto todos os 100 candidatos antes de subirem ao palco e vejo várias em que penso: “essa é igual a mim quando criança”!

Quais são as surpresas dessa temporada?
Acho que o público já pode comprar uma caixa de lenço maior, porque vai precisar. Posso garantir que está ainda mais emocionante.

Ser apresentador era um sonho antigo?
Não esperava, juro! Não tinha essa pretensão. Comecei a gostar quando me chamaram para fazer matérias para o Vídeo Show em 1999. Quando fui perceber, já estava no Superstar (2014)!

Já pensou em desistir?
Todo mundo tem seus altos e baixos. Já fiz muita coisa aqui na casa, inclusive pensar em parar. Estava muito triste, gordo... não foi uma fase boa. Mas se você fizer o bem, e se dedicar ao que fizer, as coisas vão fluir.

Arrisca um chute de por que as pessoas gostam muito de você?
Sou alguém de verdade. Não faço personagem para agradar os outros. Conheço muita gente que cria um, mas não posso falar aqui, né (risos). Então, creio que o público acaba percebendo com o tempo que foi sincero e quem não foi.

Dizem que quem gosta de animais e crianças sempre é uma pessoa boa e, pelo jeito, você curte os dois, né...
Cara, cresci numa casa que sempre teve bicho. Ganhei meu primeiro cachorro aos 6 anos e sempre gostei de criança porque sou de uma família que tenho um monte de primos. Então será que é isso (gargalhadas)?

05/01/2018 - 14:58

Conecte-se

Revista Tititi